Por: Cash Monitor

Como ter a certeza de que sua conciliação funciona!

será que sua conciliação funciona?

Vamos ver se te conhecemos bem…

Sua rotina de “conciliação” envolve os seguintes passos:

  • Ver se tudo que vendeu no final do dia bate com os valores do portal da adquirente;
  • Somar todos os valores de cada filipeta/comprovante e esperar pelo depósito no dia seguinte ou 30 dias depois;
  • Fazer pequenos ajustes manualmente quando não bate exatamente o valor ou nem isso.

 

Você não é o único! Todos os dias, milhares de estabelecimentos comerciais conferem suas vendas e, digamos que, se o valor esperado se aproxima do valor depositado, cria-se o conceito de “conciliação redonda”.

Pois é, vem cá que eu vou te contar uma história não muito animadora.

Antigamente, os bancos ganhavam dinheiro dos seus correntistas lançando tarifas em seus extratos, quem nunca foi surpreendido por um “pacote” que não contratou? Se você já identificou esse caso na sua vida pessoal ou mesmo na sua empresa sabe que esses “erros”, como os bancos justificam e estornam quando questionados, são bem comuns. E por que eles fazem isso? Justamente porque você é minoria, muitos não vão identificar e esse valor vai passar.

Adquirentes são empresas ligadas a banco e isso você já sabe, certo? Agora que você já entendeu como funciona o fluxo de banco basta adicionar essas Adquirentes no mesmo contexto para entender o por quê você não deve descansar enquanto não colocar um especialista para te dar maior transparência com seus recebíveis.

Um especialista? Sim e eu vou te contar a diferença entre você deixar uma empresa de conciliação de cartão te ajudar ou conciliar sozinho.

Como vimos acima, as Adquirentes/Bancos não querem que vocês percebam seus erros e, por isso, ela não te conta que o portal que você acessa não é o material oficial de conciliação. O portal é meramente um informativo de suas vendas e que não reflete o sistema de pagamento delas, ou seja, usam outro sistema para registrar as transações (captura) e pagar você (depósitos bancários). Através desse sistema é extraído o relatório que se chama “extrato eletrônico” ou EDI.

Os EDIs são arquivos em formato txt, o que inviabiliza a conciliação feita por uma pessoa, manualmente. Além disso, esses arquivos são disponibilizados, todos os dias, automaticamente pelas Adquirentes para todos os estabelecimentos comerciais que informam estas que desejam recebê-lo.

De modo geral, passar a receber esse extrato eletrônico é uma maneira de deixar as Operadoras cientes de que você está de olho, afinal, todos os clientes que não tem o EDI habilitado mostram que não conciliam e aumentam a exposição de seus recebíveis a erros.

Bom, agora que já entendemos a real necessidade de usar o material correto, podemos avançar para os tipos de problemas que um conciliador identifica a partir desses extratos.

Agende uma navegação em nossa ferramenta e descubra com mais profundidade quais são os principais erros que você irá descobrir de acordo com o seu negócio e necessidades.

 

Assine nossa Newsletter, e receba toda semana novos conteúdos!